Siga-nos nas Redes Sociais

Variedades

5 coisas que podem prejudicar a saúde dos seus filhos

A infância é uma fase maravilhosa, e os pais estão dispostos a fazer de tudo para ouvir a risada do filho e ver o sorriso em seu rosto. No entanto, é muito fácil acabar exagerando e prejudicando o pequeno sem querer.

O Incrível.club reuniu 5 coisas que geram mais danos que benefícios, e que podem levar a consequências irreparáveis.

Andadores

dano comprovado deste objeto supera o efeito positivo esperado, e já foi motivo suficiente para que ele fosse probido no Canadá:

  • traumatismo infantil (mais de 8 mil casos por ano só nos Estados Unidos);
  • fortalecimento irregular dos músculos, deformações em pés e pernas;
  • desvios na coluna devido à alta carga (a coluna nas crianças com menos de um ano ainda não está bem formada, e não tem as curvaturas necessárias);
  • as crianças começam a caminhar mais tarde, porque não sentem estímulos para fazê-lo por conta própria. O equilíbrio e o instinto de autopreservação não se desenvolvem.

Para minimizar o dano, use esses aparelhos sob sua supervisão não mais que 2 vezes por dia, durante 15 minutos cada uma, e só depois que seu filho tenha aprendido a caminhar. Outra boa ideia é marcar uma consulta com um ortopedista ou um pediatra para detectar eventuais contraindicações.

Sucos de fruta e leite

Os sucos de frutas pasteurizados contêm poucas vitaminas e grande quantidade de açúcar, o que provoca problemas dentários e obesidade.

  • Pediatras recomendam sucos caseiros às crianças com mais de um ano, e em quantidades moderadas. É melhor substitui sucos industrializados pelos de frutas frescas. Vença a preguiça e prepare você mesmo.

O leite integral de vaca contém pouco ferro e mais nutrientes do que o bebê realmente precisa. Por conta disso, os rins começam a trabalhar com sobrecarga, o que pode levar a anemia e alergias.

  • Você pode dar leite de vaca às crianças com mais de um ano, e em quantidades não maiores que 500 ml por dia. Substitua o leite por alimentos com alto teor de cálcio (laticínios, legumes e frutas verdes) e vitamina D (ovos, fígado bovino) e por leites em fórmulas, sempre sob supervisão de um pediatra.

Briquedos coloridos

Na idade pré-escolar, as crianças descobrem o mundo através dos brinquedos, e é assim que eles constroem suas percepções sociais. Os brinquedos com cores pouco naturais, sons eletrônicos e detalhes muito elaborados freiam o desenvolvimento do pensamento criativo e afetam a formação da personalidade: as crianças podem apresentar agressividade e medos sem motivo, além de depressão durante a adolescência.

  • Escolha brinquedos em cores tranquilas, de preferência feitos em materiais naturais: madeira e tecido. Lembre que a brincadeira deve servir com propósitos educacionais, não de entretenimento. Assim, eles devem ser próximos da realidade.

Roupa quentinha

  • Quanto menor a criança, pior é sua termorregulação, fazendo com que ela sinta mais tanto o frio quanto calor. O calor excessivo provoca neuroses e pode levar a problemas de saúde.
  • Roupas muito quentes não deixa o organismo produzir as reações de proteção adequadas às mudanças climáticas, o que pode levar a diversas doenças respiratórias e à baixa imunidade.

A roupa deve ser de tecidos naturais, que facilitem a transpiração, com uma camada a menos da usada pelos adultos. O bebê se sente confortável quando tem peito e abdômen aquecidos e secos. Mãos e pernas deve ter uma coloração rosada.

Aparelhos eletrônicos

  • A luz azul, emanada por telas modernas de LED, afetam a retina, o que pode provocar degeneração macular. Com o tempo, isso pode provocar catarata e até cegueira.
  • Se a criança só se diverte com tablet e smartphone, não recebe estímulos suficientes do mundo real, suas habilidades motoras e sensoriais não se desenvolvem, e a comunicação real fica comprometida. Tudo isso provoca deficiência no desenvolvimento do lóbulo frontal do cérebro, que responde pela fala, senso de individualidade, comunicação e tomada de decisões.

Limite o uso dos aparelhos a 1 hora por dia. Use apenas aplicativos educativos para crianças com mais de 2 anos. E enquanto usa aparelhos eletrônicos, o pequeno precisa interagir com outras crianças ou com adultos.

Fonte

Continue Lendo
Clique para Comentar

Mais em Variedades

Voltar ao Topo
default-poup